CUIDADOS COM O SEU VEÍCULO


Qualquer que seja o seu veículo ele merece cuidados especiais. Procure conhecê-lo melhor para sua segurança no trânsito. Dessa forma, também economizará tempo e dinheiro.
Faça um esquema de manutenções preventivas para reduzir seus custos:-
01-Verifique o nível do óleo do motor alguns minutos após tê-lo desligado e não ultrapasse a marca máxima da vareta de medição;
02-Troque o óleo do motor pelo tipo e no período recomendados pela fábrica, e exija a colocação de um novo anel de vedação no bujão do cárter;
03-Vazamentos de óleo devem ser corrigidos sempre que ocorrerem, pois podem deteriorar outras peças do motor;
04- Se seu veículo realiza reboque de carreta ou trafega muito pesado, antecipe sempre as trocas de óleo;
05-Observe se ao ligar o motor ocorrem ruídos anormais, folgas em algumas partes internas podem estar ocorrendo e quanto mais cedo forem corrigidas melhor;
06-Use somente filtros de ar, óleo e combustível de boa qualidade;
07-A correia dentada que aciona o comando de válvulas deve ser trocada periodicamente, pois sua quebra pode danificar partes do cabeçote do motor;
08-A correia que aciona o alternador deve ser trocada dentro do especificado pelo fabricante ou quando estiver desfiando e ressecada. Se estiver frouxa, é importante ajustar;
09-Falhas e engasgos do motor, falta de força, fraco desempenho, são alguns sinais de que os sistemas de carburação e de ignição não estão funcionando normalmente e necessitam manutenção;
10-Dificuldade na partida do motor indica necessidade de um check-up no alternador, bateria, motor de arranque ou mesmo regulagem do motor;
11-Confira periodicamente as condições da chave de roda, macaco, extintor de incêndio (carga e validade), triângulo de emergência e estepe.
12-Jamais desça ladeiras com veículo em ponto morto, pois o sistema de freio será muito exigido e é arriscado;
13-Evite lavar o motor. Constantemente ocorrem problemas devido a infiltração da água no sistema elétrico;
14-O ar condicionado deve ser ligado, por alguns minutos, pelo menos uma vez no mês, pois suas peças deterioram com a falta de uso;
15-Observe se o som ficou ligado, ou alguma lâmpada permanece acesa após desligar e fechar seu veículo, isto pode descarregar a bateria impossibilitando ligar o veículo posteriormente;
16-Muito cuidado ao limpar o vidro traseiro quando o mesmo estiver equipado com desembaçador, objetos pontiagudos e abrasivos podem danificar os filetes de aquecimento.
A manutenção é de extrema importância para a segurança de quem está no veículo ou fora dele.
SISTEMA DE FREIOS
O Sistema de Freios de um veículo é de fundamental importância para a segurança de seus usuários. Ele foi feito para provocar a moderação da marcha, a parada completa ou imobilização do veículo quando estacionado, por isso sua manutenção deve ser feita com regularidade e cuidado.
Os freios devem estar sempre bem regulados para que quando solicitados em freadas bruscas, não haja desvios na direção.
FIQUE ATENTO PARA O SISTEMA DE FREIOS DO SEU VEÍCULO
01- Presença de folga no pedal do freio. Se o pedal está abaixando com freqüência, significa possível defeito no cilindro mestre e perigo iminente;
02-Verificar reservatório e nível do fluido do freio. O fluido do freio é uma substância que absorve água e como fator de segurança deve ser substituído de acordo com as recomendações do fabricante;
03- Ruído de atrito ferro com ferro, ao pisar no freio, indica lonas ou pastilhas desgastadas. Troque-as de imediato;
04- Verificar a cada 5.000km as condições das pastilhas. Caso estejam com espessura inferior a 2mm, devem ser substituídas;
05- Se os discos estiverem frisados e com espessura inferior ao recomendado também devem ser trocados;
06-Verificar o freio de mão, se o seu funcionamento se dá em até 50% do seu curso.
SISTEMA DE SUSPENSÃO
O Sistema de Suspensão protege a carroceria e os ocupantes do veículo das oscilações resultantes das irregularidades do pavimento, e ainda é responsável pela estabilidade e, portanto, segurança do veículo. São as molas que sustentam o peso dos veículos e, de acordo com as irregularidades do solo, elas podem ser comprimidas ou distendidas. Pois só elas têm força elástica.
Cabe ao amortecedor controlar as ações dinâmicas das molas. Assim o amortecedor não impede ou dificulta a compressão e extensão das molas, apenas inibe a repetição dos movimentos, garantindo a estabilidade do veículo.
Além das molas e amortecedores, cabe destacar a importância da barra estabilizadora, que tem como função estabilizar a carroceria, limitando sua inclinação lateral quando o veículo faz as curvas.
FIQUE ATENTO PARA O SISTEMA DE SUSPENSÃO DO SEU VEÍCULO
01-Quando os amortecedores estão sem ação, o veículo fica instável, duro e trepida, principalmente em altas velocidades. Para solucionar o problema, o amortecedor deve ser substituído.
02-Quando o chassi apresentar empenos ou torções, ocorrerá desgaste irregular dos componentes da suspensão, além do mesmo ficar muito instável.
03-Quando as molas estão quebradas ou fracas afetam a altura do veículo, deixando-o muito baixo e instável. Neste caso, as molas dos dois lados devem ser substituídas.
SISTEMA DE DIREÇÃO
Antigamente o Sistema de Direção era um sistema por meio de alavancas, contudo, exigia do motorista um esforço muito grande ao realizar as manobras. Com o passar dos tempos, os veículos foram aumentando o peso e a velocidade tornando necessária uma direção mais leve e precisa. Atualmente, o sistema é constituído por eixos, barras e articulações ligados entre si, com a finalidade de comandar o movimento das rodas.
Segundo o Princípio de Ackermann a direção utiliza mangas de eixo independentes para que as rodas descrevam circunferências concêntricas. Assim, a roda dianteira do lado de dentro da curva deve ser desviada segundo um ângulo maior que a outra.
A verificação e manutenção deste sistema e o alinhamento periódico da direção são pontos fundamentais para a segurança no trânsito. É importante saber que a verificação e correção do alinhamento das rodas, bem como seu balanceamento, devem ser feitos com instrumentos e equipamentos adequados e em oficinas especializadas.
FIQUE ATENTO PARA O SISTEMA DE DIREÇÃO DO SEU VEÍCULO
01-Diversos são os problemas quando o veículo apresenta-se instável, pode ser folga nos rolamentos, terminais desalinhados, etc. caso isto ocorra, procure imediatamente descobrir e corrigir a falha para sua segurança.- A caixa de direção com folga indica risco para o controle do veículo, ela também não deve transmitir vibrações para o volante, assim, em caso de vibrações no volante ou a direção 'puxando' indicam a necessidade de alinhamento e/ou balanceamento das rodas.
02-Folgas das buchas de balanças e braços de articulação devem ser verificadas constantemente, pois desalinham as rodas, causando barulhos e desgaste excessivo nos pneus.
03-Quando as rodas estão desbalanceadas, ocorre o desgaste em pontos alternados no centro da banda de rodagem, e a roda vibra em velocidade. Se o desgaste acontece do lado de dentro da banda de rodagem dos pneus, o problema é o ângulo de convergência maior que o indicado. Se do lado de fora, o problema é o ângulo câmber maior que o indicado.
SISTEMA DE TRANSMISSÃO
A transmissão é um conjunto de dispositivos utilizados para transmitir a força produzida no motor às rodas motrizes, para que o veículo entre movimento. O sistema é composto pela embreagem, caixa de marchas, diferencial, semi-árvores, homocinéticas e rodas. Esses componentes estão ligados e possuem interdependência de funcionamento.
Num automóvel com motor dianteiro, a transmissão passa por todos estes componentes. Eles impõem às rodas a potência do motor transformada em energia mecânica.
Quando colocamos um carro em movimento, inicialmente, pisamos na embreagem para engrenar uma marcha. O movimento é transmitido ao diferencial que movimentará as rodas através das semi-árvores.
O conjunto de peças usadas para ligar e desligar o motor do sistema de transmissão e efetuar a progressão do torque do motor permitindo uma partida suave do veículo, chama-se embreagem, e localiza-se entre a caixa de mudanças e o volante do motor.
A embreagem é um dispositivo muito usado no veículo. A cada mudança de marcha, ela é acionada. Seus componentes são passíveis de desgaste e podem apresentar inconvenientes que devem ser imediatamente solucionados para não estendê-los a outras partes do motor, como o câmbio.
O câmbio permite as mudanças de marchas de forma suave e segura. Na manutenção da caixa de câmbio, não esqueça de verificar o nível de óleo e a data da troca do mesmo.
O óleo recomendado é o de base mineral, multiviscoso, e deve conter aditivo de extrema pressão. Esses óleos são indicados para engrenagens com alta solicitação de carga.
FIQUE ATENTO PARA O SISTEMA DE TRANSMISSÃO DO SEU VEÍCULO
01-Engates de marchas difíceis, dificuldade de subir ladeiras, pedal de embreagem duro, alto consumo de combustível, são alguns sinais de que a embreagem está no final de sua vida útil.
02-Se a embreagem estiver patinando não viaje com o veículo e evite efetuar ultrapassagens.
03-A troca correta de marchas é importante para a conservação e desempenho do veículo, por isso o câmbio deve ser movimentado com firmeza, sem forçar a penetração das marchas evitando assim danos ao mecanismo seletor.
04-Ao reduzir a velocidade mantenha o veículo engrenado para aumentar a vida útil de pastilhas e lonas.
05-Não descanse o pé no pedal da embreagem e não segure o carro nos aclives com a embreagem, evitando desgaste prematuro de todo conjunto.
PNEUS E RODAS
Elementos essenciais para a segurança, os pneus e rodas do seu carro devem estar sempre em boas condições de uso. Para tanto, devem ser verificados regularmente, especialmente a profundidade do desenho (frisos/sulcos) da banda de rodagem dos pneus, que revelam a hora certa para a retirada de uso. Quanto menor for a profundidade restante dos sulcos, maiores serão os riscos de acidentes pela redução de aderência em piso molhado.
Para permitir a identificação do nível de desgaste existem os TWI (Tread Wear Indicators), ou indicadores de desgaste da banda de rodagem, que são filetes de borracha com 1,6 mm de altura, dispostos transversalmente em quatro a oito pontos da banda. Quando a altura dos gomos se igualar à dos TWI, a profundidade mínima foi atingida e o pneu deve ser substituído. Segundo o Contran, por meio da Resolução 558/80, de 15 de abril de 1980, os sulcos não devem ter profundidade inferior a 1,6 mm.
A substituição, entretanto, só estará vinculada aos TWI se o pneu estiver em boas condições gerais. Bolhas, cortes ou desgaste irregular podem condenar o pneu antes de atingida a profundidade mínima.
O tipo de pavimento das vias tem influência direta na durabilidade dos pneus, bem como o traçado da estrada influi no rendimento. Assim é fundamental dirigir com regularidade e manter velocidades compatíveis com cada tipo de via.
Pressão de enchimento
Rodar com pressões incorretas (inadequadas) acaba trazendo grandes prejuízos. A pressão correta proporciona ao pneu um apoio perfeito no solo e, desta forma, a rodagem apresenta um desgaste normal. Quando a pressão é insuficiente, o pneu tende a se apoiar mais nas laterais da rodagem e estas se desgastam prematuramente. Além disso, o flexionamento do pneu torna-se muito acentuado, acarretando maior geração de calor e prejudicando a estrutura do pneu. Quando a pressão é excessiva, o pneu apóia-se mais na faixa central da rodagem, a qual sofre um desgaste mais rápido e o conforto do veículo é prejudicado.
Verifique no mínimo uma vez por semana as pressões nos pneus quando estiverem frios. Os pneus se aquecem durante o rodar e o calor provoca o aumento da pressão inicial.
Veja no quadro abaixo os desgastes que podem ocorrer, as causas e a forma de corrigir tais problemas:
Fonte: FATE (Boletín de prensa Seguridad Vial nº 48)
Quando alinhar
Causas do desalinhamento
01- quando o veículo puxa a direção para um dos lados.

02-a cada 10.000 km;
03- problemas mecânicos (suspensão);
04-desgaste irregular dos pneus;- desconforto e insegurança ao dirigir.
05- folgas;- desgaste prematuro das peças;

06- pancadas nas rodas causadas por buracos;
07- desgaste irregular e prematuro dos pneus;
08-estacionar apoiando rodas na guia;
09- constantes trepidações em pavimentos irregulares.
Dicas- O rodízio, a inversão de posição entre os pneus, tem como intuito prolongar sua vida útil. Deve ser realizado a cada 10 mil km ou sempre que houver diferença acentuada de desgaste entre os pares dianteiro e traseiro. Passam-se os pneus dianteiros para trás e vice-versa, sem inverter o lado Num carro de tração dianteira, por exemplo, as rodas da frente têm as funções de acelerar, frear e esterçar o veículo, desgastando-se mais que as de trás. Trocando de posição os dianteiros com os traseiros e incluindo o estepe na operação, é possível adiar o momento da compra de novos pneus. Outra vantagem: mantém-se um nível equivalente de desgaste entre os quatro pneus, com benefícios à segurança.
01- Sendo um elemento de borracha, o pneu se resseca quanto submetido a certos produtos. Não se deve estacionar sobre óleo, solventes ou qualquer derivado de petróleo. Ao aplicar produtos para estética, verificar se não há esses derivados em sua composição.
02- Os pneus que equipam o seu veículo devem obedecer à indicação que vem no Manual do Proprietário de seu veículo.
03-A cada duas semanas ou antes de viajar, os pneus precisam ser calibrados ainda frios. Complete com a pressão correta indicada para os pneus, que vem impressa no manual do carro e nas tabelas específicas. Verifique também o estepe.
04- O uso da tampinha na válvula de ar de cada pneu é fundamental para evitar que o bico receba impurezas.
05- É preciso cuidado redobrado com obstáculos, buracos e redutores de velocidade.
06-Consertos exigem cuidados, devem ser efetuados por profissional capacitado, com ferramentas e materiais adequados.
Fontes:
Associação Latino Americana de Pneus e Aros e Boletín de prensa Seguridad Vial nº 48 – ISEV
Leituras relacionadas:-
O processo de laminação do pneu inservível (Fonte: Arebop)- O processo de laminação do pneu inservível radial (Fonte: Arebop)
SISTEMA ELÉTRICO
Bateria
A bateria ou acumulador é o componente onde a energia que o veículo necessita é acumulada, portanto, é supridora de energia elétrica. Por isso, merece alguns cuidados:

01-Verifique constantemente o nível de água, completando-o quando as placas estiverem descobertas;
02-Em algumas baterias é desnecessária a verificação do nível de eletrólito. A reposição de sua carga é feita pelo alternador, quando o motor está em funcionamento;
03-Os conectores dos cabos devem estar bem fixados aos pólos da bateria, mantidos limpos e lubrificados com vaselina neutra.
As baterias oferecem risco de acidentes, em função dos elementos que compõem o sistema. Solicite a uma pessoa habilitada para fazer sua remoção e, ao manuseá-la, tome cuidados especiais com os olhos e lave as mãos em seguida.
Se a luz indicadora da bateria no painel acender com o motor em funcionamento, pode significar que a correia do alternador tenha rompido. Neste caso, desligue o veículo e providencie a troca antes de religá-lo.
Faróis e limpador de pára-brisa
Antes de sair com seu veículo verifique o funcionamento das luzes do painel, faróis, buzina e limpador de pára-brisa. O limpador de pára-brisa tem função de manter boas condições de visibilidade com mau tempo. Se as palhetas dos limpadores estiverem ressecadas, é hora de trocá-las.
As setas direcionais, lanternas dianteiras e traseiras, luzes de freios, de ré, e pisca alerta são de fundamental importância para se transitar com o veículo em segurança, por isso devem sempre estar funcionando. É necessário manter os faróis bem regulados, possibilitando boa visibilidade e mais segurança.
Os pneus mal calibrados e cargas mal distribuídas alteram a direção dos fachos de luz.

PALHETAS - LIMPADOR DE PÁRA-BRISA
Manter bem conservadas as palhetas do limpador de pára-brisa é fundamental para sua segurança.
Ao instalar novo jogo de palhetas, limpe o vidro da seguinte maneira:

01- Use solução de água com um pouco de álcool para limpeza do vidro. Aplique com um pano limpo. Esse procedimento ajudará na retirada das impurezas acumuladas no vidro;
02-Para limpeza das borrachas (se necessário), use um pano umedecido com água limpa para retirar possíveis impurezas. Cuidado para não danificar os braços do limpador durante o processo;
03- Use no reservatório de água do limpador solução de água com aditivo apropriado para limpeza. O aditivo ajuda na diminuição do atrito entre a borracha e o vidro, melhora a qualidade da limpeza e não corrói a borracha.
Não são recomendados o uso dos seguintes produtos na limpeza do pára brisas (podem comprometer o desempenho e a durabilidade das palhetas):

01-Detergentes;
02-Sabões comuns;
03-Querosene;
Troque as palhetas a cada 12 meses (uma vez por ano), ou caso estejam:

ressecadas (deixam riscos ou faixas no vidro, quando acionado o limpador);
01- há folgas no mecanismo (ocorre trepidação quando o limpador é utilizado);
02- borracha deformada (uma "névoa" é formada no vidro);
03-borracha rasgada ou ressecada (algumas áreas do vidro ficam sem limpeza).
Fonte:
Valeo
DICAS PARA REDUZIR O CONSUMO DO SEU CARRO
Evite acelerar bruscamente ou de maneira desnecessária. O mesmo vale para os freios.
01- Quando chegar à velocidade desejada alivie aos poucos o acelerador.
02- Esqueça aquele velho hábito de acelerar o carro antes de desligá-lo. Você pode danificar o catalisador, o que aumenta a emissão de poluentes e prejudica o desempenho.
03- Aerodinâmica: dê preferência por andar com as janelas fechadas. A redução da resistência do ar reverte na economia de combustível.
04- Verifique sempre os filtros de ar e de combustível e efetue as trocas seguindo as recomendações do fabricante.
05- Não carregue mais peso do que a capacidade de seu carro. O consumo será maior e irá acarretar um desgaste da suspensão, dos freios e dos pneus. Cada 50kg a mais equivalem a 1% de aumento no consumo.
06- Retire o bagageiro quando não for usá-lo. A resistência produzida por eles aumenta o consumo.
07- Organize seu itinerário. Procure criar uma rota que atenda todos os seus compromissos. Concilie sua agenda da melhor forma, evite idas e vindas desnecessárias.
08-Procure caminhos alternativos. Às vezes é mais vantajoso andar um pouco mais do que ficar no anda-e-pára dos engarrafamentos.
09-Utilize o acelerador com suavidade.
10- Respeite o conta-giros. Troque as marchas na rotação indicada.
11- Desligue o carro se for ficar parado por mais do que dois minutos.
12- O excesso de velocidade, além dos problemas de segurança, aumenta o consumo. O Centro de Pesquisa da Petrobras realizou testes que indicaram um aumento no consumo de até 20% para carros que andavam a 100km/h confrontados com outros que não passavam dos 80km/h.
13-Caminhar faz bem à saúde. Para percorrer pequenas distâncias, vá a pé.
14-Quando puder, utilize os transportes coletivos.
15- O carro é indispensável, identifique pessoas que façam o mesmo trajeto que você e sugira o transporte solidário.
16-Motor desregulado pode consumir até 60% mais combustível do que o normal.
17- Controle seu consumo. Anote a quantidade de combustível abastecida e a quilometragem percorrida. Use uma planilha para acompanhamento.
Fonte: Petrobrás Distribuidora S.A. disponível em
http://www.automovel.com.br/

Postagens mais visitadas deste blog

DICAS DE CONGELAMENTO

COMO DESFIAR FRANGO CONGELADO NA PANELA DE PRESSÃO

O PODER DE CURA DO ALHO