SETE ERROS COMUNS AO ESCOVAR OS DENTES APÓS A REFEIÇÃO:


 Foto: iStock
Escovar os dentes é muito mais complexo do que parece. Do modelo de escova ao tempo de escovação, vários elementos devem ser levados em conta para evitar danos ao sorriso saudável. Confira abaixo sete erros comuns, listados pelo dentista australiano Michael Tam no jornal Daily Mail: 

1 - Enxaguar muito os dentes
Enquanto a maioria das pessoas pensa que é importante enxaguar muito bem após a escovação, os especialistas discordam. "Queremos que bocheche e cuspa, mas não lave. Assim deixa o flúor nos dentes por pelo menos 30 minutos após a escovação", disse Tam.
2 - Escovar logo após as refeições
Nada de comer e ir direto para o banheiro escovar os dentes. É importante esperar 30 minutos. "Alimentação e bebidas ácidas, como suco de laranja, suavizam o esmalte dos dentes, por isso é importante esperar que o pH da boca se equilibre novamente antes de escovar. Estamos sempre com pressa e, por isso, se não for possível esperar, ingira bebidas mais alcalinas, como leite, que são melhores para os dentes", ensinou o dentista.

3 - Escovar muito forte
Muitos acreditam que, para limpar adequadamente, precisa-se escovar bem forte. Grande engano! "Vemos um monte de dentes danificados por escovação vigorosa. Você deve usar uma escova de cerdas macias, o que irá certamente reduzir a quantidade de abrasão e, claro, escovar suavemente", recomendou.
4 – Escovar por menos de dois minutos
O tempo médio de escovação deve ser de dois minutos. Portanto, nada de escovar rapidinho. "Se escova por menos de dois minutos, é mais do que provável que esteja deixando depósitos de tártaro e comida nos dentes, bem como todas as manchas", alertou Tam.
5 - Petiscar muitas vezes
Petiscar muito ao longo do dia pode levar a problemas de saúde nos dentes e mais danos podem ser causados durante o processo de escovação. "Em uma boca normal, temos um nível de pH que é neutro e, quando petiscamos e comemos comida, os níveis de pH caem e tornam-se bastante ácidos, o que leva a problemas no esmalte", comentou o dentista. A saliva leva cinco minutos para fazer seu trabalho e restaurar o equilíbrio. Por isso, se petisca toda hora, cria um ambiente ácido por mais tempo, aumentando as chances de danos.
6 – Escovar apenas a parte da frente dos dentes
Há quem escove apenas a parte da frente dos dentes, porque é ela que fica visível ao sorrir e falar. Outro grande erro! "A placa se acumula na parte de trás dos dentes também", alertou Tam. É muito importante escovar a parte da frente, de trás, de cima e dos lados.
7 – Escovar no chuveiro
Escovar os dentes no chuveiro pode parecer uma ótima forma de otimizar o tempo, mas também é um erro, porque significa menos foco no processo de escovação. "É bom escovar os dentes na frente do espelho para que você esteja consciente do que está fazendo. Você precisa olhar o ângulo da escova e ter certeza que está na posição certa", comentou Tam. E não se esqueça de desligar a torneira da pia enquanto escova os dentes por, ao menos, dois minutos.

5 hábitos que parecem inofensivos para sua boca

Se comer frutas, beber água e escovar os dentes não forem feitos do jeito certo podem causar problemas bucais

Quando se fala em cárie logo vem à cabeça balas, chocolates e a falta de higienização bucal, certo? Pois saiba que não são somente esses hábitos que causam problemas. Alguns costumes e alimentos tidos como saudáveis podem ser verdadeiras pegadinhas. 

Ingerir bebidas isotônicas com frequência
Esse tipo de bebida está associado à prática de esportes e a saúde, pois é fonte de reposição de água e vitaminas. Logo, é impossível que eles façam algum mal à saúde, certo? Errado! Por conterem em sua composição carboidratos e açúcar, o consumo exagerado dessa bebida, sem os cuidados necessários, pode causar outros problemas além da cárie.
 “Pelo fato da maioria dos isotônicos serem ácidos, a erosão dental também pode aparecer. Caracterizada pela dissolução do esmalte dental, a erosão pode dar um aspecto de desgaste aos dentes que ficarão mais suscetíveis ao aparecimento da cárie”, diz Flávio Henrique Baggio Aguiar, professor do Departamento de Odontologia Restauradora da Unicamp.
Tomar chocolate quente para se aquecer à noite
Se depois disso você cair no sono e dormir, sua boca acabou de ser preparada para o ataque das bactérias causadoras da cárie dental.
“Durante o sono há uma diminuição da produção de saliva, que ajuda na limpeza bucal, deixando o alimento fermentando por muito tempo no dente. Dessa forma, a formação da cárie será mais rápida e com grande poder de destruição. A única maneira de evitar isso é fazer a higiene bucal após o consumo de qualquer alimento, principalmente os doces”, diz o especialista. 
 Comer uma maçã na cama antes de dormir
O problema de comer na cama, antes de dormir, é que as chances de a preguiça vencer a força de vontade de levantar e escovar os dentes é grande. E aí, até a maçã, um alimento detergente com consistência fibrosa que ajuda a limpar as superfícies do dente, pode ser uma vilã.  O acúmulo de qualquer resto de comida na boca pode virar placa bacteriana e facilitar o aparecimento da cárie.

“O ideal é que façamos a higiene bucal, escovando os dentes e passando fio dental, após o consumo de qualquer alimento”, diz Flávio. 
 Escovar os dentes logo depois de comer
Acredite se quiser, mas, dependendo do alimento ingerido, essa atitude também não é a mais indicada pelos dentistas. Claro que escovar os dentes é fundamental para mantê-los saudáveis e bonitos, mas se isso for feito na hora errada, o efeito pode ser contrário. 

Se os alimentos ingeridos forem muito ácidos, o mais indicado é que a escovação seja feita após 30 minutos de sua ingestão. Isso porque, ao comê-los, o pH da boca fica muito ácido. Assim, ao escovar os dentes logo após essas refeições, a acidez é espalhada na superfície dental, o que pode danificar o esmalte e deixá-lo vulnerável.
Beber água engarrafada
Calma, também há uma boa explicação para isso. Beber bastante água faz muito bem para a saúde e para a saúde bucal, mas um estudo apontou que a água engarrafada pode ser mais vilã do que heroína para os dentes. Isso porque, durante o processo de purificação dessas águas, há grandes chances de ela ficar mais ácida do que a própria água da torneira. “Além disso, nem todas as marcas de águas engarrafadas possuem em sua composição a quantidade de flúor (entre 0,7 e 1,2 ppm) ideal para proteger os dentes”, diz o cirurgião-dentista, Lucas Borbonha Livieiro. 

Vinte alimentos deixam dentes mais brancos e fortes

 A ida ao dentista pode garantir um bom tratamento para clarear os dentes, mas, ao escolher os alimentos certos, é possível ajudar a deixá-los mais brancos e fortes. A nutricionista, Vanessa Pimentel, separou cardápios e curiosidades para tirar o melhor que os alimentos podem oferecer para a saúde bucal. 

 

Com algumas dicas, além de se beneficiar com uma boa seleção de pratos, é possível neutralizar alimentos prejudiciais para os dentes. Vanessa recomenda lanches com alimentos cariostáticos e anticariogênicos, como queijo, nozes, pipoca e hortaliças. “Após comer um pirulito, mastigue uma castanha, e prefira comer a bisnaguinha com queijo”, diz.
Confira alguns alimentos amigos dos dentes brancos
Morango
Morangos in natura são um prato cheio para quem quer manter os dentes brancos. A fruta contém ácido málico, um adstringente natural que ajuda a retirar manchas. Além da vitamina C, que ajuda a combater o acúmulo de placa.
Queijos
A caseína, um tipo de proteína encontrada principalmente no queijo, ajuda na reparação do esmalte dos dentes, junto com o cálcio e fósforo também presentes em produtos lácteos. Queijos duros, como o parmesão, são bons para o clareamento. Apenas um pedaço aumenta o fluxo de salivação que ajuda a eliminar restos de alimentos e neutraliza o pH da boca, que fica menos ácido e propenso à deterioração dos dentes.
Espinafre
Rico em fibras, o espinafre faz uma limpeza natural dos dentes, além de aumentar o fluxo salivar. Estudos mostram também que o ácido oxálico do espinafre pode interferir na absorção do cálcio presente em leites e seus derivados. 

Maçã
A maçã é fibrosa e já limpa os dentes a cada mordida, além de estimular o fluxo salivar.
Iogurte
Alimentos lácteos são ricos em proteínas, cálcio, fósforo e ácido láctico, que ajudam a combater bactérias e fortalecer os dentes.
Salmão
Salmão tem cálcio e vitamina D, a dupla perfeita para dentes fortes e saudáveis.
Leite
Os produtos lácteos (leite, iogurte sem gordura) intensificam a remineralização dos dentes e contêm cálcio.
Pera
A fruta ajuda a eliminar o biofilme oral – placa bacteriana – já que é fibrosa e limpa os dentes naturalmente. A pera também aumenta o fluxo de saliva, que defende os dentes contra cáries e doenças da gengiva.
Pepino
produzem saliva que, combinada com as fibras naturais dos alimentos, naturalmente limpa os dentes e remove bactérias.
Goma de mascar sem açúcar
Mascar gomas sem açúcar, por 15 a 20 minutos após as refeições e lanches é recomendado pelos dentistas. A goma adoçada com xilitol é um agente anticárie. O xilitol é um açúcar de cinco carbonos que não pode ser metabolizado pelas bactérias orais. Vinte minutos de mastigação parecem causar um aumento no ph salivar para mais de 5,5 vezes.
Castanha-do-Pará
Os óleos contidos na castanha do Pará ajudam a formar uma película sobre os dentes, reduzindo a capacidade das bactérias grudarem neles.
Brócolis
Brócolis contém ferro e cálcio, que juntos formam uma barreira que protege o esmalte dos dentes.
Cenoura
Estimula a salivação, assim, mantêm a boca hidratada e ajuda a remover o biolfime oral – placa bacteriana.

Hortaliças em geral
As hortaliças cariostáticos e anticariogênicos, o que contribui para a saúde dos dentes.
Nozes
As nozes também ajudam a formar uma película sobre os dentes.
Frango
O frango é um alimento cariostático, ou seja, que não contribui ao desenvolvimento da cárie.
Ovos
O ovo, assim como o frango, não ajuda na instalação da cárie no dente, sendo recomendado para consumo de quem quer deixa-lo forte e branco.
Gorduras
As gorduras também não contribuem para o aparecimento de cáries, pois formam uma película oleosa nos dentes.
Água
A ingestão de água, além de ser necessária para as funções vitais do organismo, é importante para o mecanismo de limpeza dos dentes. 

Castanha-do-pará ajuda a combater cárie

 A castanha-do-pará com toda sua gama de benefícios já caiu no gosto popular há algum tempo. Além de retardar o envelhecimento, a oleaginosa é aliada da saúde bucal. Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais. 

 

 Foto: Shutterstock


 Um estudo feito pela dentista Cintia Filogônio na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais mostrou que a adição de 10% de óleo de castanha-do-pará ou de um óleo mineral (parafina líquida) à composição das pastas de dente comerciais pode prevenir cárie e doenças periodontais 


Durante três meses, 30 pessoas usaram três tipos de pastas com formulação diferente. Um grupo escovou os dentes com um creme dental disponível no mercado, sem qualquer alteração na fórmula. Outro usou a mesma pasta com óleo de castanha e um terceiro experimentou o produto com óleo mineral.
A conclusão foi que as versões com óleo mineral e com óleo da castanha-do-pará fortaleceu a barreira que protege os dentes das bactérias que formam o biofilme dental, que aumenta a incidência de cárie e gengivite. "Os óleos ajudam a formar uma película sobre os dentes, reduzindo a capacidade de as bactérias grudarem neles", explica Cintia.
Enxaguantes bucais 
 O estudo também conclui que os óleos essenciais — obtidos de fonte mineral e vegetal — contidos em enxaguantes bucais proporcionam benefícios significativos quando aliados à escovação. Eles foram considerados, inclusive, tão eficazes na redução dos micro-organismos que ficam entre os dentes quanto o uso isolado do fio dental. Ainda assim, não é possível sugerir que seja feita essa substituição.
Bochechos com óleos essenciais uma ou duas vezes ao dia demonstraram mais reduções, após 14 dias de uso, na permanência dos efeitos de redução de micro-organismos na boca. Os enxaguantes antiplacas e antigengivites contendo os óleos também tiveram efeito antimicrobiano, comprovando que o controle do biofilme da gengiva influencia na progressão da periodontite.
A pesquisa também cita que, como a halitose também está associada ao biofilme dental, os óleos essenciais reduzem o nível de odor por períodos de até duas horas.
 Fonte: terra.com.br/saude.





Postagens mais visitadas deste blog

COMO DESFIAR FRANGO CONGELADO NA PANELA DE PRESSÃO

O PODER DE CURA DO ALHO

DICAS DE CONGELAMENTO